Os batimentos cardíacos e a respiração fazem com que o corpo humano se movimente mais do que se imagina, conforme explicado no artigo “Nitidez à Mão Livre”.

Assim, a câmera também se movimenta durante o clicar da foto, o que pode resultar numa imagem “borrada”, a ser evitada. Bem… ao menos normalmente, já que em se tratando de fotografia, não há regras absolutas.

Para se tirar fotos profissionais, uma das dicas é dar estabilidade praticamente total à máquina, mas para isso o ideal é recorrer a um bom tripé.

Ocorre que esse utilíssimo equipamento apresenta o inconveniente de ser relativamente pesado e volumoso (os pequenos e leves costumam não resolver muitos problemas). Além disso, sua utilização é impraticável, ou mesmo proibida, em várias situações. Assim, em grande parte do tempo fotografamos à mão livre com perda de qualidade, a qual é desprezível sob luz forte, mas sensível se a iluminação é deficiente.

Como fazer, então, para fotografar com pouca luz se não temos, ou não podemos usar, um tripé e o flash não resolve a contento o problema de iluminação?

Uma das possibilidades é empregar técnicas de fotografia pouco convencionais, como a mostrada na foto ao lado. Observa-se que  a câmera está amarrada  com um barbante, que é mantido bem esticado, proporcionando, assim, o desejado aumento da estabilidade da câmera.

Vejamos como se pode montar facilmente e com custo desprezível essa  “âncora” , num esquema em que é necessário apenas que a câmera tenha aquele orifício  com rosca, em sua base, onde é aparafusado o tripé.

Técnicas para fotografar envolvem o uso de aparatos como uma âncora fotográfica

1)     Reúna o material. A foto ao lado mostra que é necessário apenas: um pedaço de barbante (um pouco mais comprido que a sua altura); um lápis; e um parafuso de ¼, encontrado em qualquer boa loja de ferragens (leve sua câmera na hora da compra para testar o produto).

2)    Amarre uma ponta do barbante no lápis;

3)    Pise no lápis, estique  o barbante verticalmente até o alto da cabeça e corte-o nessa altura;

4)     Amarre a ponta solta do barbante no parafuso, mantendo livre a extremidade da rosca.


Dicas para fotografar usando barbante Pronto, agora é só rosquear o parafuso na entrada do tripé da câmera, ajustar o tamanho do cordão enrolando-o no barbante, de acordo com a sua postura no momento do enquadramento, pisar no lápis e, ao mesmo tempo em que empunha a câmera da melhor forma possível, empurra-la para cima de forma a esticar bem o barbante no momento do clic.

Com um pouco de prática, suas fotos sairão melhores, principalmente em locais sombreados, ao anoitecer ou amanhecer, enfim, em condições de pouca luminosidade. Lembre-se que em tais situações habitualmente se utiliza uma ISO elevada, mesmo com perda da qualidade da foto.

As fotos abaixo são exemplos de “sem e com âncora”, tiradas em interior, com ISO 400 e tempo de exposição de um décimo de segundo. Nota-se que a foto tirada sem o aparato ficou borrada, enquanto com ele obtém-se uma imagem de nitidez aceitável.

Dicas para fotografar não incluem foto tirada sem tirante

Foto borrada, tirada sem âncora


Dicas para fotografar usando âncora

Foto nítida, tirada com âncora


Aderindo à ideia, use a criatividade para confeccionar uma “âncora” mais funcional e eficiente.

Forte abraço,
Pedro Trindade